Início

A Organização Nacional de Cegos do Brasil (ONCB) foi fundada em Julho de 2008 por iniciativa de mais de 60 Entidades de e para deficientes visuais de todo o país. Seu escritório e secretariado estão atualmente estabelecidos em Brasília, no Distrito Federal, e seu propósito como Organização Não-Governamental e sem fins lucrativos é o de assegurar a todos os brasileiros com cegueira, surdo-cegueira ou baixa visão o direito constitucionalmente garantido de determinar os rumos de suas próprias vidas.

Esta Organização, para tanto, trabalha articulando suas Entidades afiliadas por todo o território nacional, com o objetivo de dar-lhes estrutura e representatividade política, além de apoio técnico, social e pedagógico. É através desse trabalho que a ONCB atua no quadro da deficiência visual por todo o país, com campanhas que vão desde a prevenção contra a cegueira até programas que incentivem os deficientes visuais brasileiros a assumirem seu papel como protagonistas de suas Entidades.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em 2002 havia cerca de 161 milhões de deficientes visuais em todo o mundo, aproximadamente 2.6% da população. No Brasil, essa estatística aponta para mais de dois milhões de pessoas com algum nível de inabilidade visual. Ainda de acordo com a OMS, esse número deve crescer em proporção no futuro próximo, em decorrência de fatores como o aumento progressivo da expectativa média de vida e, por conseqüência, da população geral de idosos. Tais números, quando apresentados junto ao corrente quadro social brasileiro, vêm apenas demonstrar a relevância de se unificar o movimento de luta pelos direitos das pessoas com deficiência visuais brasileiras, em uma grande iniciativa que lhes dê proporção e representatividade.

Últimas notícias

ONCB REPUDIA VETOS AO ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Texto de Moisés Bauer, presidente da Organização Nacional de Cegos do Brasil.

"Prezados amigos: Fiz uma análise atenta do texto publicado (...) pelo Planalto da Lei 13.146, de 06 de julho de 2015, que institui a Lei Brasileira da Inclusão, Estatuto da Pessoa com Deficiência, sancionado (...) , em Brasília, pela Presidente Dilma.

Na condição de Conselheiro do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência fui convidado a comparecer no Palácio do Planalto para presenciar a sanção dessa lei.

México ratifica o tratado de Marrakech.

Com esse paço alcançamos a nona ratificação, a 5ª latinoamericana, caminho a entrada em vigor do instrumento internacional que permitirá o intercambio de materiais en suportes acessíveis, sua produção e distribuição sem requerer licenças, permições, autorizações ou outras barreiras para as pessoas con deficiência visual.

CNJ construirá PJe mais acessível para pessoas com deficiência

23/04/2015 - 12h45
Agência CNJ de Notícias

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai tornar o sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe) mais acessível para pessoas com deficiência. O primeiro passo ocorreu nesta quarta-feira (22/4), com a realização de um workshop que reuniu 45 servidores da área de tecnologia da informação. A partir desta semana, parte da equipe será destacada para desenvolver requisitos de acessibilidade no PJe.

Encontro de mulheres na ACIC

No dia 07 de Março de 2015 foi realizado, nas dependências da ACIC, o 1º Encontro de Mulheres da Associação Catarinense para Integração do Cego do ano de 2015, um momento de discussão e reflexão sobre a temática de gênero entre as nossas guerreiras mulheres com deficiência visual.
Seguem alguns depoimentos sobre o evento:

Marcilene Ghisi, em 08/03/2015 escreveu:

Páginas